Mansão Winchester – A casa amaldiçoada

Mansão Winchester


Mansão Winchester – A casa amaldiçoada


A casa está localizada em San Jose, Califórnia, e é aberta para visitas. Muitos visitantes e empregados do local afirmaram já terem visto em algum momento, fantasmas vagando pelos corredores da casa, ou escutado barulhos estranhos e vozes.
A história começa com Sarah Lockwood Pardee, nascida em 1840 em Connecticut, filha de Leonard Pardee e Sarah Burns. Sarah casou-se em 1862 com William Wirt Winchester, filho do vice governador de Connecticut e também fundador da Winchester Repeating Arms Company, Oliver Winchester. A fábrica tornou-se referência mundial e os Winchester uma das famílias mais ricas da América.



Sarah Winchester

Sarah e William tiveram um casamento feliz e em 1866 nasce a filha do casal, Annie. Pouco tempo após seu nascimento, a pequena garotinha morre de uma doença desconhecida. Com a morte prematura da filha, Sarah entra em uma depressão profunda, da qual nunca conseguiria se recuperar completamente. Quinze anos depois, seu marido William morre de tuberculose, deixando para ela toda sua fortuna.


William Wirt Winchester, era filho de Oliver Winchester, fundador da companhia que fabricava os rifles de repetição Winchester




Segundo algumas fontes, Sarah foi atrás de um médium em Boston para tentar explicar os últimos acontecimentos trágicos em sua família, e as vozes e passos que ouvia na mansão. Este explicou que a família e sua fortuna estavam amaldiçoados e que os espíritos daqueles que foram mortos pelos rifles Winchester estavam a assombrando e levando seus entes queridos, e que Sarah seria a próxima.
O médium instruiu Sarah para que partisse daquele lugar e fosse para o oeste, e que lá deveria construir uma grande casa para acomodar ela e os espíritos, assim estes ficariam mais calmos. A viúva viajou pelos Estados Unidos até que finalmente em 1884 encontrou a casa perfeita no Vale de Santa Clara, a três quilômetros de San Jose.
A casa na verdade encontrava-se inacabada, com “apenas” 8 cômodos. A partir daí a Sra. Winchester iniciou seus projetos de construção, contratando vários carpinteiros para trabalharem de noite e de dia. Projeto este que duraria nada mais que 38 anos, e que não era bem um projeto já que nada foi planejado, foi-se apenas construindo conforme Sarah achava conveniente.
A casa que tinha 8 cômodos virou uma mansão de sete andares e que cresceu para 161 hectares.


A mansão

Sarah Winchester investiu praticamente toda sua fortuna na reforma e ampliação da mansão. Diz-se que ela generosa com os empregados, fazia doações a entidades carentes e chamava as crianças da vizinhança para tocar piano e brincar. Por outro lado ela mantinha-se o mais reclusa possível, inclusive usando um véu negro para cobrir o rosto.
Coisas estranhas começaram a acontecer na casa, segundo contavam os vizinhos. Eles diziam que ouviam um sino tocar entre meia noite e duas da manhã, o que na lenda de fantasmas significava a chegada e a saída dos espíritos. Outros diziam também que a Sra. Winchester nunca dormia no mesmo quarto por duas noites seguidas a fim de enganar os espíritos.
No centro da casa é possível encontrar o Quarto Azul, onde supostamente Sarah ia toda a noite se comunicar com aqueles vindos do além. E segundo a lenda, ela vestia um de seus 13 robes especiais coloridos e recebia orientações dos espíritos sobre a construção da casa.


A Casa


Sarah faleceu em 5 de setembro de 1922 por insuficiência cardíaca e foi enterrada no cemitério de Evergreen em New Haven ao lado de seu marido. Em seu testamento, boa parte dos pertences foram deixados à sua sobrinha Marian Merriman Marriot, que prontamente os leiloou. Diz-se que foram necessários seis caminhões e seis semanas para fazer a mudança. Finalmente a propriedade foi vendida e hoje é ponto turístico.
A mansão Winchester é um labirinto com influência Vitoriana, explêndido, desconcertante e ao mesmo tempo excêntrico. Um lugar fácil para se perder por horas. Um lugar onde se encontra uma escadaria que desce sete degraus, mas sobe onze.
Conforme vai se caminhando pelos imensos corredores, passagens secretas vão aparecendo por entre as paredes. A Sra. Winchester passeava por sua casa de modo indireto, supostamente para confundir os fantasmas que a perseguiam.
Durante os anos de construção da casa, colunas foram colocadas de cabeça para baixo, quartos eram reformados toda semana a fim de tramar uma armadilha para os maus espíritos. 500 a 600 quartos foram construídos naquela mansão, pois todos foram refeitos várias vezes, mas apenas 160 restaram aproximadamente (sim, aproximadamente, o lugar é totalmente confuso e impossível de se fazer uma contagem exata). Mas obviamente alguns efeitos surgiram depois de tanto meche dali e meche daqui. Várias escadarias, portas e janelas vão a lugar nenhum, ou vão para o teto ou para alguma parede.


Ao contrário do que se pensa, o fato dos cômodos estarem em constante mudança não impedia Sarah de mobiliá-los com  os mais requintados adornos. Lustres banhados a ouro, móveis banhados a prata, vidros importados e por aí vai.
Uma outra característica da casa é o piso de parquet. No quarto preferido de Sarah (quarto que por sinal onde foi encontrada morta), havia um piso especial, que mudava de cor conforme a luz do sol batia nele.
Em 1906 foi registrado um terremoto de 8,3 pontos na Escala Richter próximo a propriedade Winchester. A mansão foi parcialmente atingida pelo fenômeno, e a própria Sarah ficou presa em um dos quartos. Ela dizia que aquilo era um aviso dos espíritos por ela ter gastado tanto dinheiro na parte da frente da casa. Depois de terem sido feitos os reparos apropriados, ela ordenou que os 30 quartos da frente fossem selados.
Não se sabe ao certo se a Sra. Winchester construiu a mansão já com o intuito de acomodar os bons espíritos, mas ela já dizia que tanto estes quantos os maus espírito, inevitavelmente a afetava e a acompanhava. Presume-se que o objetivo era amigar-se com os bons espíritos dando-lhes um lugar agradável para viver. Inclusive, após sua morte foram encontrados apenas 3 espelhos na casa toda. Diz a lenda que se os fantasmas se verem refletidos em um, eles desaparecem. Por isso a casa também é conhecida como A Casa dos Espíritos, pois acredita-se que Sarah foi guiada por eles ao dirigir a construção.


O Número 13

Superstição ou não, o fato é que a ocorrência do número 13 está presente em toda casa. 13 janelas no banheiro 13, o hall de entrada dividido em treze secções entre muitos outros.
O fato é que não podemos ter certeza de nada não é mesmo?! Mas que a casa é gigante e totalmente maluca, isso é. Muitas lendas e histórias são inventadas sobre a casa, há muito tempo.
O “Winchester” aparece também no seriado Sobrenatural, em que os personagens principais da série levam o sobrenome. Que por sinal, faz sim referência ao mistério da Mansão Winchester, já que a série gira em torno de acontecimentos paranormais.
A história remete-nos um pouco também ao filme Rose Red (A casa adormecida), apesar da história não ser exatamente a mesma, mas em ambas o foco é a casa cheia de labirintos.

Tem algumas fotos e mais informações aqui:


Veja mais no vídeo abaixo:




Ouça esse Podcast do Escriba Café:



Fonte:

Sala de Armas


Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();