Descubra a história da faca de sobrevivência Buck 184

faca de sobrevivência Buck 184

Descubra a história da faca de sobrevivência Buck 184


A história de uma faca com história

Analisamos neste artigo uma das facas de sobrevivência mais robustas e emblemáticas produzidas na década de 80. Uma época em que a influência do filme "Encurralado" se estendeu a muitos fabricantes de facas, é o caso da BUCK 184 BUCKMASTER.

 

Nascimento da faca

Em 1981, foi criada a empresa de pesquisa e desenvolvimento Qual-A-TEC, cuja principal missão seria desenvolver produtos de apoio às forças especiais dos Estados Unidos. Mais tarde, seria associada à empresa BUCK KNIVES, com o objetivo de projetar e fabricar uma faca supostamente encomendada pelo corpo militar dos mergulhadores da Marinha Americana (US Navy Seal). Os filmes Rambo estavam no centro das atenções e a faca neles usada serviu de base para o protótipo, de fato a empresa tinha três facas originais do filme para estudá-los, daí nasceu o BUCK 184, que começou a ser produzido no final de 1984.

Embora a segunda parte do Rambo tenha sido lançada em 1985, possivelmente já tivessem informações sobre as variações do segundo modelo, mesmo assim, o Buck 184 nunca foi admitido como oficial do Selo da Marinha, porém, alguns de seus integrantes o adquiriram. do título pessoal e no museu onde estão expostas as facas e canivetes que foram dotados do corpo, a faca aparece.

Supostamente poderiam ser considerados como motivos da rejeição, que a fabricação fosse muito cara e talvez seu peso fosse considerado excessivo, mas foram os fatores que a caracterizaram como uma arma de qualidade e indestrutível em situações extremas. Por outro lado, este modelo serviu de base para a elaboração da nova baioneta M9 Phrobis, que foi implantada como oficial do exército.

As características desta faca são: Modelo de lâmina tipo Bowie, as medidas aproximadas são de 320 mm de comprimento total, dos quais 195 mm pertencem à lâmina, a espessura da lâmina é de 7,2 mm, não há faca desse tipo que exceda nesta medida, seu peso é de 0,675 Kg com pontas rosqueadas. Quanto às suas funcionalidades, na parte de trás do dorso possui uma serra potente, para cortar madeira ou até mesmo algum metal macio, a ponta diminui a espessura como aresta e na curva superior possui outra serra mais estreita e simples, neste caso estudado para cortar corda molhada ou elementos como couro, lona grossa ou similar.

Com relação aos materiais, é feito de aço de qualidade 425mod e a alça é de aço inoxidável, que é equipada com ranhuras e ranhuras para facilitar a aderência, a proteção, também de aço inoxidável, é levemente curvada em direção à ponta. Possui dois orifícios roscados, onde são colocadas duas pontas roscadas, que têm a função de poder usar a faca como âncora ou gancho, na extremidade do cabo oco é fechada com uma tampa roscada que veda o interior graças à uma junta de borracha. Isso tem espessura e consistência suficientes para ser usado como um martelo.

Entre a tampa e o cabo há um anel ajustável, que permanece fixo quando a tampa é apertada, possui uma lingueta perfurada por onde pode passar uma corda, no caso de usar a faca como âncora ou gancho. Tem uma capacidade de carga estimada de 275 Kg, embora este uso não tenha sido considerado totalmente recomendável, a função está lá. A tampa é feita de plástico reforçado com fibra de vidro preta, com ranhuras laterais que permitem fixar uma ou duas bolsas de nylon pretas removíveis, em uma das quais guarda uma bússola da marca sueca Silva e a segunda é opcional para guardar outras ferramentas. . Continuando com a bainha, na parte de trás, incorpora uma pedra de amolar embutida e é complementada por tiras de nylon para fixação na perna ou cinto, que cobrem a pedra de amolar,

É certo que a faca tem alguns detratores, considerando-a talvez muito pesada em comparação com outros modelos mais otimizados nesse aspecto, mas foi concebida com a intenção de ser versátil e muito robusta. A serra principal corta perfeitamente, não fica embotada, o peso lhe confere vigor em qualquer ataque ou uso como martelo, o cabo oco e impermeável é muito útil e está perfeitamente equilibrado, devemos ter em mente que foi desenvolvida em outros vezes, naqueles que o conceito de armas é que elas devem ser fortes e duráveis.

Se olharmos para as pistolas, por exemplo, hoje existem muitos modelos feitos de materiais leves e muito funcionais, mas quem gosta de revólveres sempre contará com uma 1911 entre as que possui, mesmo sendo um ferro mais pesado. Nosso clássico fuzil de assalto cetme C também seria um bom exemplo, que apesar da passagem do tempo e do fato de terem sido superados tecnicamente, são modelos ainda no mercado e muito cobiçados entre os fãs, da mesma forma que o Buck 184 é muito cobiçado, atualmente por colecionadores, que até tem um livro dedicado a ele.

 

 

Navy Seals durante uma manobra de barco

Exceto para compras privadas, nunca se tornaria uma doação entre os Navy Seals.


Modelos e marcações de acordo com o ano de fabricação

A produção comercial desta faca não pode ser considerada muito extensa no tempo, apenas 13 anos, de 1984 a 1997 e pode ser dividida em 5 edições sem contar os primeiros modelos protótipos, que não chegaram ao mercado e com algumas variantes em suas edições . Os principais acabamentos são prata fosco e óxido preto, alguns modelos polidos brilhantes também foram fabricados, mas foi menos frequente.

As primeiras unidades consistiam em um jogo feito sob medida, que durou muito pouco e eles abandonaram essa forma de produção (nenhuma unidade desse jogo foi vendida). Mais tarde, eles foram feitos de chapas usinadas, mas nenhuma dessas unidades também foi vendida. Foi a partir de novembro de 1984 que foi escolhida a opção de chapa estampada e teria início a primeira produção que entrou no mercado.

1ª Edição novembro de 1984 a julho de 1985, número estimado de facas fabricadas 12.000 no total, 7.000 delas com um pequeno compasso na tampa do cabo.

A marcação era BUCK 184 USA em um lado da folha, mas nas duas primeiras semanas de julho os modelos tinham PAT PEND gravado no verso da folha. A partir deste modelo com a lâmina marcada em ambos os lados, foram fabricadas 1000 facas, com acabamento por jateamento cinza escuro, para metade da produção foi aprimorada a fresagem do cabo para a lâmina, dando-lhe um melhor encaixe.

2ª Edição de julho de 1985 a setembro de 1985, número estimado de facas fabricadas 13.000 no total. Este modelo passou a incluir uma bússola guardada no saco de nylon que foi acrescentado neste período de produção. A marcação consiste na unificação de BUCK 184 USA e PAT PEND na mesma face da folha, com a particularidade de que o número "4" é aberto na parte superior, com acabamento em areia cinza escuro.

3ª Edição outubro de 1985 a dezembro de 1986, número estimado de facas fabricadas: 45.450 em acabamento prata fosco e 1.100 em acabamento preto óxido. Foi o primeiro período em que este acabamento foi incluído, também nesta edição começaram a ser produzidos com a lâmina forjada em vez de estampada, o que deu mais dureza à lâmina. A marcação era a mesma do modelo anterior acrescentando um ângulo com a ponta voltada para o centro, BUCK 184 USA PAT PEND, embora existissem três tipos, dois com o número "4" fechado acima, um deles com letras mais grossas e um mais com o número 4 aberto acima. Há também a particularidade de que nesta edição foi feito um jogo com a marca-caje ao contrário, entende-se que por engano.

4ª Edição de janeiro de 1987 a dezembro de 1987, número estimado de facas fabricadas: 950 em acabamento prata fosco e 200 em acabamento preto óxido. A marcação era com o 4 fechado acima em todas as unidades, BUCK 184 USA PAT PEND, embora com os dois tipos de letras, algumas mais grossas e outras mais finas, a lâmina sempre seria forjada.

5ª Edição Dezembro 1987 a 1997 (não tenho uma especificação exata do fim da produção), número estimado de facas fabricadas 31.500 em acabamento prata fosco e 16.500 em acabamento óxido preto. Nesta edição foi feito um furo de cada lado da lâmina, logo abaixo da serra traseira, de um lado estaria escrito a palavra BUCKMASTER e do outro o número da patente em ambos os lados, a marcação é levantada. Esta última característica já será constante em todas as unidades, embora existam alguns detalhes que as diferenciarão de acordo com a data.

Até 1993 as pontas que são rosqueadas na guarda eram mantidas com o mesmo comprimento e a tampa do punho com a mesma espessura, mas a partir deste ano foram substituídas por outras mais curtas e a tampa ficou mais fina. Em 1994 a serra de ponta foi feita com 10 dentes, isso durou apenas um ano ou um pouco mais e a partir de 1995 a fresagem desses dentes começou a ser feita do lado esquerdo da lâmina, ao invés do lado direito como até agora e isso detalhes permaneceriam até o final da produção.

De 1986 a 1989, foram fabricadas cerca de 6.000 facas maciças sem cabo oco, que foram chamadas de BUCK 185 BUCKMASTER LITE.

 

 

Faca Buck 185 Buckmaster Lite

O Buck 185 Buckmaster Lite.



História particular de uma dessas facas

A par da história desta faca, corre a história pessoal do autor deste artigo com esta fantástica arma. O ano era 1984 e, como muitos outros adolescentes, idolatrávamos aquele herói do cinema que serviu nas forças especiais. Tanto que acabei me alistando no BRIPAC onde servi durante os anos de 1984, 85 e 86, quando tinha 17, 18 e 19 anos. Um episódio da minha vida cheio de sensações, que naturalmente repetiria cada vez que nascia de novo.

Durante o fim do meu serviço em 1986, quando eu costumava passar parte do meu tempo livre lendo revistas militares e de armas, me deparei com a Revista de Armas e Munições nº 7, na qual foi publicado um artigo sobre este BUCK 184. Buckmaster, em aquela época não estava disponível na Espanha e ver aquelas fotos e ler aquelas linhas, produziu em mim um desejo tremendo de poder ter uma em minhas mãos, mas naquela época, era um sonho inatingível.

No entanto, anos mais tarde e no fórum Armas.es onde estou registado há mais de 10 anos, contactei um membro também registado no fórum, que não era nem mais nem menos do que a pessoa que trouxe para Espanha aquela faca que apareceu em a revista. Aconteceu também que era colaborador da mesma, algo que o fez acabar nas páginas daquela publicação, depois de ver o diretor da revista, com quem tinha uma grande amizade.

Este é Guillermo Navas, a quem saúdo desde estas linhas com a sua permissão e agradeço-lhe novamente a oportunidade que me deu de a adquirir, era o ano de 2011. A chegada da faca a Espanha foi certamente peculiar, pois me disse que por esses tempos conseguiu trazê-lo para a Espanha graças a um amigo que tinha na embaixada canadense, onde entraria como mala diplomática. Não sei se havia mais na Espanha naqueles dias, em todo caso, tenho certeza que foi um dos primeiros a serem trazidos, se não foi o primeiro, o que lhe confere um valor especial.

Até hoje está como comprei, está novo, sem ser usado, a não ser para tirá-lo do estojo de vez em quando e admirá-lo. Especificamente, pertence à terceira edição, produzida de outubro de 1985 a dezembro de 1986, devido à época em que foi feita com ela, deve ter sido fabricada antes de março de 1986. Caracteriza-se por ser a primeira produção com lâmina forjada e com a marcação que tem o 4 aberto na parte superior.

Voltando aos tempos de serviço na BRIPAC, que me deu a oportunidade de conhecer muitas pessoas boas com quem compartilhei alguns momentos que marcaram para sempre. Entre eles destaca-se um colega com quem a amizade que surgiu não só se manteve ao longo do tempo, como também aumentou e estendeu-se a todas as nossas famílias. Para maior satisfação, um de seus filhos que conseguiu ingressar na Academia Geral Militar, receberá o cargo de tenente em 2020, como recompensa pelo objetivo alcançado, previ que esta faca passará para sua posse.

A mágoa que me desfaço é mais do que compensada pela satisfação de que pertencerá a alguém apreciado e que poderá ter a oportunidade de brilhar no desenvolvimento da sua profissão e claro, causar alguma inveja. Desejo-lhe o melhor nesta nova etapa que se inicia e meu principal desejo é que nunca seja necessário utilizá-lo em situações extremas para as quais foi desenvolvido.

 

 

Os autores do livro monográfico sobre a faca Buck 184

Os autores do livro monográfico sobre Buck 184 em frente aos escritórios da empresa.



Fonte:

Armas.es


________________

Pessoas que tenham interesse em aprender a se proteger de situações adversas.

O Curso de COMBATE E DEFESA RESIDENCIAL proporciona conhecimentos específicos.

O que você vai aprender?

LEITURA de ambiente e avaliação de cenário;

BALÍSTICA e armamentos para o combate residencial;

TÉCNICAS de sobrevivência focada na defesa de familiares;

GATILHOS MENTAIS para defesa e combate;

CQB ONE MAN Close Quarters Battle;


 Clica na imagem e inicie hoje o treinamento!




________________________

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();