Eu não sou um Cão Pastor, e você também não deveria ser.

 

Eu não sou um Cão Pastor, e você também não deveria ser.

Eu não sou um Cão Pastor, e você também não deveria ser.


Por Travis Pike.


Por que eu não sou um Cão Pastor?

A mentalidade do cão pastor afirma que existem três tipos de pessoas. As ovelhas, que são as pessoas médias comuns. Na mentalidade do cão pastor, essas pessoas estão desarmadas e não levam a autodefesa a sério. Depois, há o cão pastor, o protetor das ovelhas. A última categoria é o lobo. O lobo é o cara mau. Ele machuca as ovelhas. Esta analogia teve sua origem e todo esse conceito derivado do artigo “Sheepdog Concept” do tenente-coronel Dave Grossman e todo seu trabalho.


Tipos de cães pastores

O problema que tenho com esse termo é que isso implica em algum tipo de dever. Um verdadeiro cão pastor tem um emprego. Ele é alimentado, regado e dado um lugar para dormir porque ele protege as ovelhas. Ele tem o dever para com as ovelhas. O termo implica também alguma forma de autoridade sobre as ovelhas. Um verdadeiro cão pastor pastoreia as ovelhas. Sem um distintivo, você tem autoridade zero. Você também tem responsabilidade zero para as “ovelhas” nessa metáfora.


Apenas seja um cara

Eu prego contra a mentalidade do cão pastor por duas razões. Primeiro, cria uma mentalidade perigosa. O termo cão pastor implica que você é o bom protegendo do mal as ovelhas. Essa mentalidade diz que as situações violentas são sempre claras. Há um cara bom, um cara mau e uma vítima. A verdade é que o mundo raramente é preto e branco, quase sempre é cinza.Essa mentalidade poderia levar algumas pessoas boas a fazerem suposições ruins. Predisposições ruins levam as pessoas a serem mortas. A polícia, os promotores e a sociedade não se importam com suas boas intenções. Talvez você assuma que alguém é uma ovelha e você tem que tomar uma atitude ruim. Talvez você pense que alguém é um lobo e puxa o gatilho, e agora você está na prisão com lobos reais.


Mentalidades

Quando se porta uma arma de forma velada, seu objetivo não é proteger sua comunidade. Seu objetivo é proteger você e sua família. A mídia há muito tenta convencer que as pessoas que tem armas veladas querem ser policiais. Essa mentalidade de cão pastor alimenta esse estereótipo. Eu carrego uma arma pela mesma razão que eu uso o cinto de segurança quando dirijo porque o meu carro emite um sinal sonoro até que eu o faça. Eu estou brincando. Nós carregamos armas, usamos cintos de segurança, velejamos com uma bandeira de mergulho quando saímos do barco e usamos um capacete quando escalamos, todos pelo mesmo motivo. Eu levo meu bem estar pessoal bem a sério.


Ajudando os outros

No final do dia eu não acho que você deveria ser um cão pastor. Se você quer ser comparado a algum tipo de animal, seja um porco-espinho. Um porco-espinho é um animal fácil de lidar. Gosta de ficar sozinho, é passivo. Até ele ser ameaçado. Um porco-espinho só age defensivamente. Um porco-espinho muitas vezes recuará quando possível, e só lutará quando encurralado. Às vezes o porco-espinho pode perder, mas ele sempre dá um golpe.

Seja um porco-espinho.

Travis Pike é um ex-atirador operador de Metralhadora da Marinha Americana, serviu com o 2º Bn 2nd Marines (Fuzileiros) por 5 anos. Serviu em 2009 no Afeganistão e novamente em 2011 com o 22º MEU (SOC) durante um período recorde de 11 meses no mar. Treinou com o Exército Romeno, os Fuzileiros Navais Espanhóis, os fuzileiros navais dos Emirados Árabes e com o Exército Nacional Afegão. Trabalha atualmente como instrutor de pistola certificado pela NRA e ministra aulas de porte velado de armas.




Fonte:

Medium



_______________________________________________________

O Guia do Atirador!  

 

Você já pensou em ter sua CR (Certificado de Registro)?

Com o Guia do Atirador, você terá um passo a passo para solicitar seu CR junto ao Exército Brasileiro sem necessidade de contratar despachantes caros.


Clica na imagem e solicite seu manual!



_________________________________________________________


Nenhum comentário