KBP INSTRUMENT DESIGN BUREAU 9K22 TUNGUSKA. O anjo da guarda das colunas blindadas russas.

9K22 TUNGUSKA

 

9K22 TUNGUSKA. O anjo da guarda das colunas blindadas russas.


A Rússia pode ser considerada como a nação com a mais competente industria militar no segmento de defesa antiaérea do mundo, atualmente. Seus engenheiros produzem sistemas de defesa antiaérea de todos os tipos e alcance, desde mísseis guiados ao calor, lançados do ombro, até complexos sistemas de defesa antiaérea de longo alcance capazes de destruir um míssil balístico a centenas de km, como o S-500, por exemplo.

O sistema que será descrito a partir de agora é um destes sistemas de artilharia antiaérea autopropulsada que, tradicionalmente, os russos fabricam.

Conhecido como Tunguska, ou 9K22, este veículo agrega as capacidades dos armamentos de tubo com dois canhões de fogo rápido e de mísseis de curto alcance.

Poder de fogo e mobilidade são características encontradas no Tunguska 9K22 que lhe garante uma excelente flexibilidade de emprego.

Seu projeto foi pedido em 1970 com o objetivo de substituir o clássico sistema ZSU-23-4 Shilka e o sistema SA-9 Gashkin por um só sistema. Um dos motivos dessa necessidade foi o aparecimento do avião de ataque norte americano A-10 Thunderbolt II, que havia sido projetado para resistir aos impactos de granadas de 23 mm do Shilka.


Com os atrasos, o programa de desenvolvimento acabou sendo relativamente longo para esta categoria de armamento, porém, em 1976 foi entregue o primeiro protótipo para testes, sendo que a entrada em serviço se deu em 1984.

O antigo e temido, veículo ZSU23-4 Shilka, embora usado, ainda pelos fuzileiros navais russos e por mais uma infinidade de nações, já não representava um sistema adequado para defender as posições de blindados e de sítios de mísseis SAM russos

O Tunguska usa um motor com a configuração de 12 cilindros em V modelo V-46-4 que produz 780 HP de potencia. A velocidade máxima atingida pelo Tunguska é de 65 km/h e sua autonomia é de 500 km, sendo equivalente à autonomia que costuma ter um MBT. 

Sua proteção blindada permite resistir a impactos de armas leves como fuzis além de fragmentos de granadas de artilharia.

O desempenho do Tunguska quando em deslocamento é perfeito para acompanhar colunas de tanques.

O armamento usado no Tunguska é composto por dois canhões de tiro rápido 2A38M de 30 mm capazes de uma cadência de 2500 tiros por minuto cada canhão.

O alcance é de 3000 metros contra alvos aéreos e de 4000 metros contra alvos de terra. São transportadas 1904 munições para estes canhões o que dão uma considerável capacidade de persistência de combate. 

O outro armamento que o Tunguska usa são 8 mísseis 9M311 M1, também conhecidos como SA-19 Grison, guiados por comando de radio. Estes mísseis tem um alcance de 10 km e uma probabilidade de acerto de 60%. Uma curiosidade sobre este míssil é que ele pode, também, ser usado contra alvos terrestre, sendo que seu alcance, neste caso se limita a 6000 metros

Cada canhão 2A38M dispara a uma cadência de 2500 tiros por minuto.

O sistema de radar usado no Tunguska para designação de seus alvos é o 1RL144, também conhecido como Hot Shot pela designação da OTAN. 

Este radar de varredura mecânica tem alcance de 16 km e está integrado a um sistema de identificação amigo/ inimigo IFF para evitar a ocorrência de “fogo amigo”. 

Outro recurso muito útil é a possibilidade do Tunguska receber dados do alvo de outros veículos, radares avançados ou mesmo uma aeronave AEW amiga através de intercambio de dados. O artilheiro usa uma mira óptica como apoio a o sistema de orientação de armas do Tunguska.


Nessa foto podemos ver a antena de aquisição e alvos 1RL144 que permite ao Tunguska opera de forma autônoma de um radar externo.

Um atacante inimigo, como um jato de ataque A-10 Thunderbolt II ou um helicóptero antitanque tem no Tunguska, um adversário formidável, com grande capacidade de atrapalhar a execução de suas missões. 

O ocidente não tem um sistema de defesa antiaérea equivalente em capacidade ao Tunguska, fazendo com que se chegue a conclusão de que o pioneirismo da indústria russa em sistemas de defesa antiaérea os colocam como destaque nesse segmento de defesa.




Fonte:

Warfareblog



Nenhum comentário