Assassinos de mísseis: sistemas de defesa antiaérea russos S-350 Vityaz entram em serviço neste ano

sistemas de defesa antiaérea russos S-350 Vityaz


Sistemas de defesa antiaérea russos S-350 Vityaz




Os inovadores sistemas de defesa antiaérea russos S-350 Vityaz começaram já a entrar em serviço da Força Aeroespacial da Rússia, substituindo gradualmente os antigos S-300PS, no ativo desde 1982.
Segundo informa o portal russo Russkoe Oruzhie, o chefe das forças de mísseis antiaéreos da Força Aeroespacial da Rússia, major-general Sergei Babakov, afirmou em declarações ao jornal Krasnaya Zvezda que os sistemas de defesa antiaérea russos S-350 Vityaz foram concebidos para assegurar a defesa das mais importantes instalações e áreas do país de ataques massivos de aeronaves, bem como de mísseis de cruzeiro e balísticos.
Babakov salienta que o S-350 é capaz de atingir alvos a distâncias de até 120 quilômetros e até 25 quilômetros de altitude.
Segundo o major-general, o sistema Vityaz está projetado para proteger os dispendiosos sistemas de defesa antiaérea de longo alcance S-300V4 e S-400 contra ataques de mísseis.
Sistema de defesa antiaérea S-350 Vityaz durante a Parada da Vitória, em comemoração aos 75 anos da vitória na Grande Guerra pela Pátria de 1941 a 1945, na Praça Vermelha, Moscou
© SPUTNIK / MIKHAIL VOSKRESENSKY
Sistema de defesa antiaérea S-350 Vityaz durante a Parada da Vitória, em comemoração aos 75 anos da vitória na Grande Guerra pela Pátria de 1941 a 1945, na Praça Vermelha, Moscou
Além disso, o sistema S-350 possui uma plataforma de lançamento com 12 mísseis de cabeça ativa de pontaria – fato sem paralelo em qualquer outro sistema similar, realça Babakov.
"Durante os testes, as características projetadas do sistema foram confirmadas por lançamentos bem-sucedidos de mísseis antiaéreos guiados contra alvos balísticos, alvos à distância mínima e máxima e alvos em baixa altitude, imitando mísseis de cruzeiro", concluiu Sergei Babakov.


Impacto no exterior

O novo sistema de mísseis antiaéreos S-350 tem merecido atenção da comunidade militar desde que foi apresentado pela primeira vez no fórum internacional técnico-militar Exército 2019.
Um dos países que ficou mais impressionado com o sistema inovador foi a China.
Segundo o jornal Zhenmin Zhibao, a implantação do mais recente sistema de mísseis antiaéreos S-350 Vityaz permitirá às forças de defesa antiaérea russas melhorar não só sua eficácia de fogo em distâncias curtas e médias, como aumentar significativamente sua capacidade de repelir ataques massivos de mísseis de cruzeiro.
Para a publicação chinesa, o S-350 foi a principal novidade da parada comemorativa do 75º aniversário da Vitória, realizada em 24 de junho.
O Zhenmin Zhibao destaca a maior eficiência do S-350 em relação ao S-300 que irá substituir, com a vantagem adicional de ter um custo de produção muito menor.
Comparando com o S-300, o jornal refere que o S-350 é capaz de carregar 12 mísseis contra quatro do seu antecessor, podendo disparar simultaneamente contra 16 alvos usando diferentes tipos de mísseis.
O jornal chinês adianta que o S-350 Vityaz tornará a defesa contra mísseis de cruzeiro até duas vezes e meia mais eficaz comparando com a do S-300.
Sistema de defesa antiaérea S-350 Vityaz se dirigindo para o centro de Moscou para um ensaio noturno da Parada da Vitória
© SPUTNIK / MIKHAIL VOSKRESENSKY
Sistema de defesa antiaérea S-350 Vityaz se dirigindo para o centro de Moscou para um ensaio noturno da Parada da Vitória
O Zhenmin Zhibao não tem dúvidas: em cenário de guerra de larga escala será dada preferência ao sistema S-350 mais barato e mais avançado. Um batalhão de S-350, em combinação com o sistema de artilharia antiaérea móvel Pantsir-S1, seria suficiente para resistir ao ataque de uma brigada de aviação.
O jornal conclui que a implantação do S-350 fortalecerá ainda mais as forças de defesa antiaérea russas no Ártico e aumentará o controle russo sobre a região, bem como sobre a Rota Marítima do Norte.
Vale recordar que a Força Aeroespacial da Rússia recebeu seu primeiro sistema S-350 de médio alcance no passado mês de dezembro.


Fonte:

Sputnik





Nenhum comentário