Header Ads

ad

Sucessos e desastres: a história dos primeiros submarinos nucleares do mundo

submarinos nucleares


A história dos primeiros submarinos nucleares do mundo




Em uma descrição histórica, a Sputnik conta os sucessos, experiências e problemas envolvendo os primeiros submarinos nucleares do mundo, o USS Nautilus e o soviético Leninsky Komsomol.
Submarinos nucleares são máquinas lendárias que já foram temas de muitos filmes. Além disso, essas fortalezas submarinas podem proporcionar grande vantagem na guerra e também causar dores de cabeça para os almirantes.

______________________

Antes do texto, quero te apresentar um de nossos produtos:
O Guia do Atirador!  


"Afinal, isso aqui não é um blog comunista." 


Você já pensou em ter sua CR (Certificado de Registro)?

Com o Guia do Atirador, você terá um passo a passo para solicitar seu CR junto ao Exército Brasileiro sem necessidade de contratar despachantes caros.


Clica na imagem e solicite seu manual!




______________________


Fundo histórico

Desde a Primeira Guerra Mundial que os submarinos se tornaram instrumento importante na luta contra o inimigo. Uma vez debaixo d'água, o submarino se torna "invisível", tendo grande vantagem no combate.
Apesar das vantagens, o submarino também possui fragilidades. Durante a Segunda Guerra Mundial, os submarinos de propulsão diesel-elétrica não podiam ficar muito tempo debaixo da superfície. Para repor a carga do motor elétrico, usado durante a navegação submarina, a embarcação precisava emergir.
Além disso, os níveis de oxigênio também caíam com facilidade, fazendo com que o submarino não pudesse ficar muito tempo submerso.

Solução nuclear

Para lidar com o problema, os engenheiros navais pensaram criar, ainda na década de 1930, um reator nuclear para submarinos. Esta seria a solução para que a embarcação não tivesse que emergir muitas vezes.
Primeiro submarino nuclear americano  USS Nautilus em Connecticut, Estados unidos
© AP PHOTO / STF
Primeiro submarino nuclear americano USS Nautilus em Connecticut, Estados unidos
Apoiando a ideia, o Congresso dos Estados Unidos aprovou nos anos 50 a alocação de US$ 37 milhões para a construção do primeiro submarino nuclear do mundo, o USS Nautilus. Em 1954, o navio desceu às águas no estado americano de Connecticut.
Além da propulsão nuclear, o navio possuía tanques de lastro, compartimentos e equipamentos diferentes.
Sua velocidade máxima era de 20 nós. Em caso de acidente, a embarcação contava com dois geradores a diesel.
A tripulação era de 100 marujos e 11 oficiais. Ao todo, a embarcação carregava 24 torpedos e atingia a profundidade máxima de 200 metros.

Defeitos e acidentes

Apesar da inovação tecnológica, o submarino era muito barulhento. As turbinas faziam tanto ruído que, a uma velocidade de 4 nós, o operador do sonar tinha dificuldade de ouvir o ambiente submarino.
Além disso, o Nautilus envolveu-se em acidentes mais que uma vez. Em uma tentativa de emergir no Polo Norte, o submarino quebrou seu periscópio ao se chocar com uma espessa camada de gelo em 1957.
No ano seguinte, o Nautilus finalmente se tornou o primeiro submarino a chegar ao Polo Norte.

Resposta soviética

Em 1961, a União Soviética lançou seu primeiro submarino nuclear, o Leninsky Komsomol. Com velocidade máxima de 30 nós e atingindo uma profundidade de 300 metros, a embarcação tinha capacidades técnicas superiores ao rival americano.
Além disso, sua tripulação de 104 marinheiros podia passar dois meses sem ir ao porto, duas vezes mais que o Nautilus.
Primeiro submarino nuclear soviético K-3 Leninsky Komsomol
© SPUTNIK / MESYATSEV
Primeiro submarino nuclear soviético K-3 Leninsky Komsomol
Inicialmente, os soviéticos planejaram usar o Leninsky Komsomol para atacar bases navais americanas com torpedos nucleares.
No entanto, mudanças no projeto armaram o submarino com 20 torpedos comuns, disparados por oito tubos. O submarino carregava ainda seis torpedos atômicos.

Façanhas e tragédia

Em 1962 a embarcação realizou uma viagem muito arriscada ao Ártico. O objetivo era emergir em uma área coberta de gelo. A espessura da camada de gelo chegava a 25 metros. No entanto, o Leninsky Komsomol cumpriu sua missão com absoluto sucesso em 17 de julho, emergindo na região do Polo Norte.
Além dos sucessos, também ocorreram problemas. Em 8 de setembro de 1967, um incêndio em dois compartimentos do submarino tirou a vida de 39 submarinistas.
Felizmente nenhum dos torpedos explodiu. A embarcação conseguiu voltar à base em total autonomia.
Primeiro submarino nuclear americano USS Nautilus (SS-571)
Primeiro submarino nuclear americano USS Nautilus (SS-571)
As experiências obtidas pelas tripulações de ambos os submarinos deram grande contribuição para as forças navais tanto dos EUA quanto da União Soviética.
Embora tanto o Nautilus como o Leninsky Komsomol não naveguem mais, a histórica bravura de suas tripulações ainda inspira os submarinistas de hoje.

Fonte:




Nenhum comentário