Header Ads

ad

OS FUZIS DE PRECISÃO


Sniper Rifle (inglês), o Fuzil de Precisão é um fuzil ou uma carabina de combate normal que é retrabalhada em sua estrutura para poder dar tiros de maior alcance e precisão.

            Veja uma lista contendo alguns fuzis de precisão e suas características, não vamos aprofundar na questão de qual é melhor, porque vários atiradores de elite da história usaram variados tipos de fuzis, tudo dependendo da adaptação, mas sem duvida alguns se destacam.


            Armas deste tipo já eram utilizadas, mesmo que escala muito pequena, nas guerras Napoleônicas. No início consistia apenas em uma pequena luneta montada em cima da arma permitindo que o atirador tivesse uma visão mais próxima do alvo. Porém seu uso só se popularizou durante a Segunda Guerra, e desde então a sua estrutura se manteve a mesma. O principal adereço desta arma é a mira óptica (ou luneta).




______________________

Mas antes do texto, tem aquele merchantzinho básico de um dos nossos produtos:
O Guia do Atirador!  

"Afinal, isso aqui não é um blog comunista." 

Você já pensou em ter sua CR (Certificado de Registro)?

Com o Guia do Atirador, você terá um passo a passo para solicitar seu CR junto ao Exército Brasileiro sem necessidade de contratar despachantes caros.


Clica na imagem e solicite seu manual!






_______________________________________________________________

300x600


EVOLUÇÃO                                                          

           Desde que surgiram, as armas de precisão passaram por várias inovações. Abaixo, alguns pontos dessa evolução:

  • O rifle Whitworth foi o primeiro rifle de precisão de longo alcance do mundo. Desenhado por Sir Joseph Whitworth , um proeminente engenheiro britânico. Seu rifle era muito mais preciso do que o padrão de 1853 Enfield, que tinha mostrado algumas fragilidades durante a recente Guerra da Criméia. Ele era capaz de acertar o alvo a uma distância de 2.000 metros, enquanto que a Enfield só poderia controlá-lo a uma distância de 1.400 metros. 
Whitworth Rifle
Enfield Pattern 1853
Século XVIII: o exército napoleônico (e posteriormente os outros) passam a fabricar mosquetes que possuem pequenos telescópios no alto da culatra, que diminuem a distância visual até o alvo, estas armas ficaram muito populares, e eram utilizadas tambem com baionetas (aquela especie de faca acoplada na frente).
Mosquete
Século XIX e Guerra da Secessão (1861-1865): pouca evolução na área. A atuação das armas de precisão na Guerra da Secessão é quase insignificante.

 Início do século XX: é criado o fuzil Springfield M1903, que foi o melhor fuzil de precisão do mundo até os anos 40, porém, só foi usado com esse fim a partir dos anos 30.

Springfield M1903 com Telescópio M84
Primeira Guerra Mundial (1914-1918): já existe uma utilização maior dos fuzis de precisão, mas ainda é uma presença pequena.

Segunda Guerra Mundial (1939-1945): ostensiva utilização dessas armas devido ao tipo de combate (guerrilha), é nessa época que se populariza uma nova classe de combate: os franco-atiradores (atiradores de escol ou Snipers), soldados que podem manter a posição por semanas e provocar danos sérios aos inimigos. O Mosin-Nagant soviético, o Springfield M1903 americano e o KAR98K alemão são as principais armas de precisão do conflito.

Mosin-Nagant
KAR98K
Guerra da Coréia (1950-1954): grande utilização desses atiradores.

Guerra do Vietnam (1954-1974): utilização um pouco menor de armas de precisão por causa do tipo de batalha (close-quarters e guerrilhas urbanas próximas, principalmente).

Fim do século XX e início do século XXI: desde que o foco do mundo tem sido a crise no Oriente Médio, a presença dos atiradores de escol tem sido quase imprescindível, pois, além de poderem atacar de longe, ainda podem perseguir e matar alvos específicos (como líderes) com grande chance de êxito.

Atualmente, as armas de precisão variam. Existem carabinas de caça de precisão, cujo único propósito é caçar pequenos animais. Há armas, porém, que têm funções bastante futuristas, como o OICW.

CARACTERÍSTICA DISTINTAS                             


            As características de um fuzil de precisão podem variar muito, dependendo das tarefas específicas que se pretende executar. Recursos que podem diferenciar um fuzil de precisão de outras armas são a presença de uma mira telescópica, maior comprimento, projetada principalmente para disparar a partir de uma posição de bruços, a presença de um bipé, entre outros acessórios.

MIRA TELESCÓPICA

            A característica mais importante que define um fuzil de precisão das outras armas é a montagem de uma mira telescópica, que permite ao atirador enxergar mais longe. As miras telescópicas usadas em fuzis de precisão podem variar a mais de 4 vezes e até 40 vezes, algumas dessas miras vêm acompanhadas de lasers e lanternas e/ou possuem visão noturna.
           Carl Zeiss produziu a primeira mira telescópica para ser utilizada em rifles no começo do século passado. A construção de lentes ópticas exige calculos matemáticos, maquinas de precisão e tolerancia mínimas, aliados ao uso de componentes de alta qualidade.
            Existem no mercado mundial vários fabricantes de mira telescópica, mas possuem duas medida padrão para o diâmetro do tubo:
  • 1" (25,4 mm) - Americano;
  • 30 mm - Europeu.

            Existem diversos tipos de "números" para classificação de luneta. A 4x20 significa que tem zoom de 4x e objetiva de 20 milímetros. 4x32, tem zoom de 4x e objetiva de 32 milímetros. Quanto maior a objetiva, mais clara é a luneta, consequentemente, se mais clara, melhor e mais cara. Existe ainda lunetas do tipo 3-9x40 que neste caso o zoom varia de 3 a 9x, e a objetiva é de 40 milímetros. E existem até maiores como 4-12x40, e impressionantes 6-24x40, e 10-40x50
Mira Telescópica de ampliação de 4x com uma objetiva de 32mm
Mira Telescópica de ampliação de 4x a 12x com uma objetiva de 40mm
Extraordinária Mira Telescópica com uma ampliação nada menos que 10x a 40x com uma objetiva de 50mm

Ação 
            A escolha entre o ferrolho e semi-automático é geralmente determinada por requisitos específicos de papel do atirador que tem suas vantagens e desvantagens dependendo do objetivo.  O Ferrolho é um tipo de ação da arma de fogo que é operado manualmente pela abertura e fechamento da culatra com uma pequena alça, mais comumente colocado no lado direito da arma (para usuários destros). À medida que a maçaneta é operada, o parafuso é desbloqueado, a culatra é aberta, a cápsula gasta é retirada e ejectada, e o percutor está armado (isto corre tanto sobre a abertura ou o fechamento do parafuso, dependendo de desenho), e finalmente uma nova ronda / cartucho (se disponível) é colocado dentro da culatra e o parafuso fechado. Armas com ação de ferrolho são ainda muito populares para caça e tiro ao alvo, elas oferecem um excelente equilíbrio de força, robustez, confiabilidade e precisão, todos com peso leve e um custo muito menor do que as armas de fogo semi-automáticas, e também pode ser desmontada e re-montado muito mais rápido devido ao menor número de peças móveis.

            Já o Fuzil Semi-Automático é melhor para situações que o atirador não tem muito tempo a perder recarregando a arma, e quando existe múltiplos inimigos reunidos para matar em sequencia já que recarrega e atira mais rápido, porem perde em tiros a distancia (para rifles anti-pessoal) geralmente é um Fuzil de Assalto com uma mira telescópica embutida.
Ferrolho do fuzil

CARTUCHO 


            Antes da introdução do padrão de 7.62 × 51 milímetros (.308 Winchester) cartucho na década de 1950, os cartuchos militares padrão foram o .30-06 Springfield ou 7.62 × 63 milímetros (Estados Unidos), tambem o 0,303 britânico (7,7 × 56mmR) (Reino Unido ) e 7,92 × 57 milímetros (Mauser 8 mm) (Alemanha). O .30-06 Springfield continuou em serviço com snipers dos EUA do Corpo de Fuzileiros Navais durante a Guerra do Vietnã nos anos 1970, bem após a aprovação geral do 7.62 × 51 milímetros. No presente momento, tanto no mundo ocidental e dentro da OTAN , o 7,62 × 51 milímetros é atualmente o cartucho primário de escolha para rifles militares e franco-atiradores da polícia.

            No mundo todo, a tendência é similar. O cartucho de atirador preferido na Rússia é outro cartucho militar calibre .30, a 7,62 × 54 mm, que tem desempenho semelhante ao do 7.62 × 51 milímetros. Este cartucho foi introduzido em 1891, e os dois rifles russos da era moderna, a Mosin-Nagant e o rifle sniper Dragunov, usam ele.

            Alguns cartuchos comerciais projetados com apenas o desempenho em mente, sem os constrangimentos logísticos da maioria dos exércitos, também ganharam popularidade nos anos 1990. Estes incluem o 7 milímetros Remington Magnum (7,2 × 64 milímetros), .300 Winchester Magnum (7.8/7.62 × 67 milímetros), e a .338 Lapua (8,6 × 70 milímetros). Estes cartuchos oferecem melhor desempenho balístico e maior alcance eficaz do que a 7,62 × 51 milímetros. Embora eles não são tão poderosos como os cartuchos de calibre .50, rifles chambered para esses cartuchos não são tão pesados ​​como rifles chambered para .50 munição calibre, e são significativamente mais poderoso do que rifles câmaras de 7.62 × 51 milímetros.

             Snipers também podem utilizar rifles anti-material .50 contra alvos tais como veículos, equipamentos e estruturas, ou para a destruição de longo alcance de dispositivos explosivos, estes rifles também pode ser usado contra pessoas, ae o estrago é feio é carne e tripa pra todo lado. Rifles anti-material tendem a ser semi-automáticos e de um calibre maior do que rifles anti-pessoal, o uso de cartuchos, tais como o .50 BMG , 12,7 × 108 milímetros russo ou até 14,5 × 114 milímetros russo e 20 milímetros. Estes grandes cartuchos são necessárias para ser capaz de projéteis contendo cargas tais como explosivos, núcleos armadura perfurantes, incendiários etc.
Sniper .50l
Munições para Fuzis de Precisão, sendo a primeira a .50

ACESSÓRIOS 

            Um estilingue ajustável é muitas vezes colocado no rifle usado pelo atirador para conseguir uma melhor estabilidade quando em pé, ajoelhado ou sentado. O atirador usa o estilingue para prender seu braço forçando-o a ficar quieto. Suportes para armas não-estático, como bipés também são usados ​​regularmente para ajudar e melhorar a estabilidade e reduzir a fadiga do operador. Também são usados o lazer e/ou uma lanterna, Telemetro e até GPS acoplados.
Bipé ajustavel
A empresa Meprolight israelense anunciou que está comercializando a mira MESLA para equipar fuzis de sniper. O MESLA consiste em uma luneta com zoom de 10×40 com sistema de telêmetro laser integrado a um computador balístico. Os ajustes automáticos são mostrados para o atirador

ALGUNS DOS RIFLES DE PRECISÃO MAIS FAMOSOS       

M24
Lugar de origem: Estados Unidos
Em serviço desde 1988
Guerras Utilizadas: Guerra do Golfo Pérsico, Guerra no Afeganistão, Guerra do Iraque.
Uma curiosidade é que esta arma é utilizada pela Brigada de Operações Especiais Brasileira.
Distancia de Tiro Eficaz: 800 m
SR-25
Lugar de origem: Estados Unidos
Em serviço desde 1990
Guerras Utilizadas: Guerra no Afeganistão, Guerra do Iraque, Crise Timorense de 2006, Second Intifada.
Desenhista: Eugene Stoner
Enfield L42
Lugar de origem: Reino Unido
Em serviço desde 1970 a 1990
Guerras Utilizadas: Segunda Guerra dos Bôeres, Primeira Guerra Mundial, Segunda Guerra, Colonial, Vários conflitos da Guerra da Independência da Irlanda, Emergência na Malaia, Guerra da Coréia, Guerra Civil do Nepal, Conflito Afeganistão e numerosos outros conflitos.
Distancia de Tiro Eficaz: 730 m
Desenhista: James Paris Enfield

M21
Lugar de origem: Estados Unidos
Em serviço desde: 1969
Distancia de Tiro Eficaz: 822 m
Desenhista: Marines Weapons, Limited Warfare Agency

PSG1
Lugar de origem: Alemanha
Em serviço desde 1972
Distancia de Tiro Eficaz: 800 m
Desenhista: Heckler & Koch GmbH

Dragunov SVD
Lugar de origem: Russia
Em serviço desde 1963
Guerras Utilizadas: Guerra do Vietnã, Guerra Camboja-vietnamita, Guerra Soviética no Afeganistão, Guerra do Golfo, Guerra Civil da Somália, Operação Restaurar a Esperança, Operação Serpente Gótica, Guerra no Afeganistão (2001-presente), Guerra do Iraque, Guerras Iugoslavas, Primeira e Segunda Guerras da Chechênia, Disputa de Fronteira do Camboja, Guerra no Sul de Ossétia em 2008, Guerra Kargil, Guerra Civil da Líbia, Guerra Civil Sírio.
Distancia de Tiro Eficaz: 800 m
Desenhista: Yevgeny Dragunov

AS50
Lugar de origem: Reino Unido
Em serviço desde 2007
Fuzil .50 Anti-Material
Distancia de Tiro Eficaz: 1.800 m

Barret M82
Lugar de origem: Estados Unidos
Em serviço desde 1989
Fuzil .50 Anti-Material
Distancia de Tiro Eficaz: 1.800 m
Desenhista: 
Ronnie Barrett

CheyTac Intervention M-200 Rifle
Lugar de origem: Estados Unidos
Em serviço desde 2001
Distancia de Tiro Eficaz: 2.000 m ou mais
Desenhista: 
John Taylor e William O. Wordman
Curiosidade: Pra quem joga Battlefield esta é a SRR-61, considerada por muitos o melhor fuzil de precisão do jogo.

L115A3
Lugar de origem: Reino Unido
Em serviço desde 1996
Guerras Utilizadas: Guerra no Afeganistão, Guerra do Iraque.
Distancia de Tiro Eficaz: 1.100 m
Desenhista: Accuracy International

DE ACORDO COM O GUINNESS BOOK              


CRAIG HARRINSON

            Estabeleceu o recorde mundial de tiro mortal mais distante com um fuzil de precisão, ele matou dois talibãs com dois tiros consecutivos, a uma distância de quase dois quilómetros e meio (2,474 m). Os alvos talibãs estavam tão longe que as balas demoraram quase três segundos a chegar ao destino, depois de saírem do cano da arma, disparadas a quase três vezes a velocidade do som. O feito aconteceu em Novembro de 2009, mas só  foi confirmado em 2010, depois de Craig Harrison ter regressado ao quartel, no Reino Unido. Um sistema de GPS instalado na arma de longo alcance com que disparou, uma L115A3 permitiu medir a distância dos alvos e confirmar o novo recorde.

Craig Harrinson e abaixo a arma que usou na conquista do record, a L115A3



ESSE RECORDE FOI QUEBRADO!





O MAIS EFICIENTE FRANCO-ATIRADOR DA HISTÓRIA       


            Simo Häyhä era apelidado de "Morte Branca", foi um soldado finlandês e considerado o mais eficiente franco-atirador da história.

            Häyhä nasceu na cidade de Rautjärvi, próxima à atual fronteira entre a Finlândia e a Rússia. Fazendeiro de profissão, cumpriu o serviço militar obrigatório de um ano em 1925, sendo convocado em 1939 após a eclosão da Guerra de Inverno entre a Finlândia e a União Soviética. Estacionado na área norte do Lago Ladoga, passou a servir como franco-atirador.
            Trabalhando em temperaturas que iam dos -20ºC aos -40ºC e usando uma camuflagem totalmente branca, Häyhä é creditado por mais de 500 mortes confirmadas de soldados soviéticos. Uma contagem diária de baixas era feita no campo de batalha de Kollaa, e os relatórios não-oficiais finlandeses estimam em 542 o número de mortes atribuído a ele.
            Häyhä usou uma variante do rifle soviético Mosin-Nagant, pois se adequava a sua baixa estatura. Para não se expor em seus esconderijos, ele preferia usar miras comuns ao invés das telescópicas, pois com esta última o atirador deve erguer um pouco a cabeça, além de haver o risco da lente refletir a luz do sol. Outra tática usada por Häyhä era compactar a neve à sua frente para que o tiro não a soprasse, revelando sua posição. Ele também colocava neve na boca, escondendo assim quaisquer sinais que sua respiração pudesse provocar.
            O exército soviético tentou executar vários planos para se livrar dele, incluindo contra-ataques com franco atiradores e assaltos de artilharia, até que em 6 de março de 1940 Häyhä foi atingido por um tiro na mandíbula durante combate corpo-a-corpo. Com o impacto, o projétil girou e atravessou-lhe o crânio. Ele foi resgatado por soldados aliados, que disseram "faltar metade de sua cabeça". Ficou inconsciente até 13 de março, um dia após a assinatura do tratado de paz que pôs fim ao conflito. Pouco depois, Häyhä foi promovido de cabo a primeiro-tenente pelo marechal-de-campo Carl Gustaf Emil Mannerheim. Nenhum outro soldado jamais conseguiu uma escalada de posto tão rápida na história militar da Finlândia. Além das mortes que provocou como franco atirador, Simo Häyhä foi creditado também por abater mais de duzentos soldados inimigos com uma submetralhadora Suomi M-31, elevando assim sua marca para 705 mortes. Este fato, no entanto, nunca foi comprovado. A marca de mais de 500 mortes foi alcançada num período de 100 dias, no qual Häyhä atingiu o número recorde de cinco por dia - praticamente uma morte a cada hora do curto dia de inverno. 
A Submetralhadora Suomi M-31 e um variante do Rifle Mosin-Nagant usados por Simo.


Fonte:



Nenhum comentário