Header Ads

ad

BERETTA ARX-160. Tradição italiana em inovação militar


No mundo das armas de fogo, algumas marcas são verdadeiras lendas ou ícones que são considerados referências para os entusiastas e mesmo profissionais do segmento de defesa e segurança. A Smith & Wesson, Heckler & Koch, Colt, entre tantos. A Itália tem a famosíssima Beretta, conhecida pela sua ótima pistola modelo 92F, usada pelo exército dos Estados Unidos (US Army), dentre outras forças armadas pelo mundo todo.
A Beretta, no entanto, não se limita apenas a produção de pistolas. Seu portfólio de produtos engloba espingardas de caça e táticas (de ótima qualidade, diga-se de passagem), carabinas em pequenos calibres de pistola como as CX-4 Storm, e mesmo, fuzis de assalto. Sim fuzis! Embora pouco comentados na mídia especializada, os fuzis Beretta tem boa confiabilidade, embora os modelos que foram comercializados até agora tivessem um acabamento menos elaborado que seus concorrentes mais bem estabelecidos no mercado.O mais recenete produto militar desta consagrada empresa pode mudar um pouco a sua história no segmento dos fuzis e colocar o nome Beretta, em destaque nesse mercado. O moderno fuzil ARX-160, em calibre 5,56 x 45 mm, vem de encontro aos requisitos do exército italiano para um fuzil a ser integrado a seu novo uniforme "Soldato Futuro" que representa o programa de modernização da infantaria italiana para o século 21.



Acima: O moderno ARX-160 abaixo do seu antecessor o fuzil SC-70/90. Atualmente as duas armas estão em serviço no exército italiano, porém, a tendência é que o ARX-160 substitua todos os exemplares do SC-70/90.

O ARX-160 foi projetado tendo recebido algumas inovações já encontradas em outros fuzis modernos como o uso de polímero (plástico de alto impacto) em sua estrutura levando a uma diminuição do peso e maior resistência a ambientes agressivos como por exemplo o marinho ou o desértico e outras inovações próprias deste projeto, como o sistema de ejeção dos cartuchos deflagrados que podem ser feito por ambos os lados do fuzil, simplesmente configurando o lado da alavanca do ferrolho. 

Outro recurso inovador do ARX-160 é o sistema de troca de canos que permite que essa ação seja efetuada sem, absolutamente, nenhuma ferramenta, bastando apenas manter o ferrolho travado na posição aberta, e soltar duas travas na parte traseira da telha para que o cano todo se solte. O sistema de operação é o já clássico sistema de aproveitamento de gases que empurram um pequeno pistão que movimenta um ferrolho com travamento rotativo. Este sistema tem sido aperfeiçoado durante décadas e não há nada tão confiável como ele para justificar sua substituição. Os disparos são feitos com o ferrolho fechado.

Acima: O ARX-160 tem suas teclas e comandos totalmente ambidestro, e sua desmontagem é feita totalmente sem ferramentas, o que facilita a manutenção e limpeza em zonas de combate.

Como não podia faltar, o ARX-160 faz uso de trilhos picatinny para facilitar a instalação de acessórios como lanternas, lunetas, miras holográficas miras ACOG, apontadores lasers e lançadores de granadas. Alias, este ultimo, também de fabricação da Beretta, modelo GLX-160 de 40 mm, é um lançador de granadas projetado especialmente para uso no ARX-160. Porém, é possível usar outros modelos de lançadores através de adaptadores. Embora seja mais comum o uso de miras ópticas nos campos de batalha de hoje, o ARX-160 tem suas próprias miras convencionais dobráveis e removíveis (são presas ao trilho picatinny integral superior). A alça da mira tem 5 regulagens para alcance com limite de até 600 metros. Porém, deve-se observar que com uma mira óptica, esse alcance é ampliado para pelo menos 900 metros. A coronha, também em polímero, é caracterizada por ser ajustável em comprimento e ainda pode ser dobrada para o lado direito.

Acima: O ARX-160 foi desenvolvido junto com um lança granadas para ser empregado com ele. O lança granadas GLX-160 em calibre 40 mm. Abaixo um militar italiano portando um ARX-160 com o referido lança granadas.




O peso do fuzil, com o cano maior (16 polegadas ou 40,06 cm) é de apenas 3,1 kg. Ou seja, é menor que todos os modelos ocidentais no mesmo comprimento. Possivelmente ARX-160 seja o mais leve fuzil de assalto do mundo. O cano do ARX-160 é cromado por dentro e forjado com o processo de martelamento a frio, bem conhecido por nós brasileiros, pois é o mesmo processo de fabricação dos canos do fuzil FAL feitos pela Imbel, o que garante uma maior durabilidade da peça. 

A Beretta incorporou no projeto, a possibilidade de troca facilitada de calibres diferentes do original. O ARX-160 pode operar em calibre 5,56X45 mm, 7,62X39 mm, sendo que nesse ultimo, será possível o uso dos carregadores do famoso fuzil AK-47 russo e o diminuto calibre 22 LR para fins de treinamento com custo reduzido. Foi desenvolvido e fabricado uma versão deste fuzil no potente calibre 7,62X51 mm (o mesmo do FAL usado pelo Exército Brasileiro), que recebeu a denominação ARX-200 e já se encontra no mercado militar. E falando em "versões', o ARX-160 tem uma versão "civil", para mercados mais democráticos que o brasileiro, como é o caso dos Estados Unidos. A versão civil é denominada ARX-100 e é operada em sistema semi- automático no calibre 5,56X45 mm.

Atualmente, também podem ser encontradas a versão A-2 do ARX-160, equipada com uma coronha mais compacta e um curto trilho picatinny a frente e abaixo do guarda mão, usado, especialmente por forças de elite ou operações especiais, e a verdão mais recente que é o ARX-160A3, com um guarda mão redesenhado com maiores janela de refrigeração e trilho do guarda mão integral.


Acima: Projetado para operar com munição calibres 5,56X45 mm, e munição soviética em calibre 7,62X39 mm (foto), o ARX-160 aproveita o carregador do AK-47/AKM quando nesta configuração. Abaixo: O ARX-200 que é a versão em calibre 7,62X51 mm do ARX-160.
Atualmente o exército italiano é o principal usuário deste moderno fuzil. Além da Itália, vários países dentre eles, Egito (marinha), México (policia federal), Albânia (forças especiais), dentre outros. A Argentina está avaliando este fuzil para uma eventual substituição de seus velhos FAL. O ARX-160 participou da segunda fase da concorrência para substituição da carabina M-4 (e provavelmente seus M-16) no Exército dos Estados Unidos (US Army), mas a concorrência foi cancelada antes de apontar um vencedor por medidas de corte de custos. Um relatório justificou, ainda, que nenhum dos fuzis novos, incluindo o HK-416 e o FN SCAR tinham apresentado superioridade significativa sobre os atuais M-4 para justificar o investimento de 1,8 bilhões na sua substituição. Eu, pessoalmente, não acredito na informação de que os modelos mais modernos de fuzis do mundo não demonstraram superioridade, uma vez que em um teste feito pelo mesmo exército, o M-4 falhou duas vezes mais que o FN SCAR e o HK-416, de forma que só o corte de recurso financeiro dos investimentos em defesa, devem ter sido o real responsável pelo cancelamento do programa.

Acima: Nesta foto podemos ver em detalhe a alça e a massa das miras de aço, dobráveis que vem junto com o fuzil. Reparem no sistema rustico de escala da alça para 100 metros (posição 1) e 600 metros (posição 6).





FICHA TÉCNICA:
  • Tipo: Fuzil de assalto.
  • Miras: Diversos modelos, entre aço dobrável, miras reflex e ópticas, todas instaladas sobre o trilho picatinny
  • Peso: 3,1 kg (vazio).
  • Sistema de operação: A gás com ferrolho rotativo.
  • Calibre: 5,56x45 mm, 7,62x39 mm e 22LR (treinamento).
  • Capacidade: 30 munições.
  • Comprimento Total: 82 cm (coronha estendida e cano de 16 polegadas). 75,5 cm (coronha estendida cano de 16 polegadas)..
  • Comprimento do Cano: 16 polegadas, 12 polegadas (versão curta).
  • Velocidade na Boca do Cano: 950 m/seg
  • Cadência de tiro: 700 tiros/ min.


VEJA MAIS NO VÍDEO ABAIXO:




Fonte:



Nenhum comentário