Header Ads

ad

Pistolas Glock 18 e Glock 18C (fogo automático)

Glock 18 e Glock 18C





Pistolas Glock 18 e Glock 18C



A Pistola Glock 18  é uma variante do modelo 17 mas com característica que diferencia de sua irmã, ela possui uma chave seletora de tiro que permite que a arma efetue tiro em fogo automático (rajada).

A maioria das partes são idênticas com o modelo 17, embora algumas partes do mecanismo não são intercambiáveis com outros modelos.

A Glock 18 quando em fogo automático possui uma cadência entre 1100 a 1200 disparos por minuto e o modelo é de uso exclusivo de algumas forças armadas e órgãos de segurança de alguns países, sendo proibido a sua comercialização aqui no Brasil assim como, não se tem notícias sobre o uso desse modelo por nossas forças armadas ou órgãos governamentais.


Detalhe da chave seletora de tiro semi-automático e automático.



Ela surgiu em 1986 a pedido da unidade antiterrorismo austríaca "EKO COBRA", seu calibre é 9mm Luger (9x19) e geralmente é usada com carregadores alongados com capacidade para 33 cartuchos embora possa também usar carregadores de 17 ou 19 cartuchos. Quando a chave seletora está na posição superior ela dispara de forma intermitente e quando na posição inferior de forma automática.





No início do projeto, a Glock 18 foi apresentada com um cano um pouco maior que os modelos atuais e com cortes transversais que fazia o papel de compensador, mas foi logo descartado em função de dificultar sua portabilidade .





No modelo 18, a Glock possui um cano que passa do slide

Posteriormente a Glock introduziu o modelo 18 C,  que tem aberturas na parte superior da dianteira e trazeira do slide (ferrolho) também cortes transversais no cano que faz a função de "compensador", mas sem aumentar o tamanho da pistola. O compensador melhora bastante o controle da arma quando em fogo automático.




Observe as aberturas na parte superior do ferrolho e os cortes transversais do cano



Veja o que ocorre durante o disparo da 18C


No vídeo abaixo você poderá ver a Glock 18 C disparando:





__________________________________

Uma pequena pausa no texto para fazer merchant de um dos nossos produtos. Afinal, isso aqui não é um blog comunista. 

Você já pensou em ter sua CR (Certificado de Registro)?

Com o Guia do Atirador, você terá um passo a passo para solicitar seu CR junto ao Exército Brasileiro sem necessidade de contratar despachantes caros.


Clica na imagem e solicite seu manual!





_______________________________________________________________









A história dos Armamentos Glock



A Glock é uma empresa austríaca fabricante de armas e materiais de cutelaria, que iniciou suas atividades em 1963, quando os produtos se limitavam a itens de metalurgia e de plástico como, por exemplo, facas e coldres que eram fornecidos ao exército austríaco. Porém, em 1980, o exército austríaco abriu uma concorrência para a aquisição de uma nova pistola de porte para seus militares. Entre os requisitos estavam que essa pistola deveria ser em calibre 9 mm parabellum, ter capacidade para, pelo menos, 8 cartuchos, ser ambidestra, poder ser desmontada sem nenhuma ferramenta, ter menos que 58 peças que poderiam ser trocadas sem maiores ajustes e ainda ser capaz de disparar 10.000 tiros apresentando, no máximo, 20 falhas

O exército da Áustria chamava a pistola desta licitação de “P-80”. O Sr. Gaston Glock, proprietário da famosa fabrica, fez uma pesquisa com diversos especialistas do segmento de segurança publica, militares e atiradores civis, para coletar informações do que seria a pistola ideal. Após 6 meses, o Sr. Glock apresentou sua pistola que deveria ser posta para avaliação do exército austríaco e verificar se esta preenchia as duras exigências operacionais daquela força. Esta nova pistola foi batizada de Glock 17, o que pode ser chamada de a “mãe” das pistolas Glock.

A Glock 17 passou pelo teste do exército da Áustria e falhou uma única vez em ejetar um estojo deflagrado durante 10.000 tiros disparados em 5 horas, onde vários atiradores se revezaram para manter a arma atirando ininterruptamente. Outros testes bastantes “provocativos”, como mergulhar a pistola em água salgada, enterrada na lama com o ferrolho aberto, expor a arma a temperaturas congelantes de 24 º a baixo de zero, foram executado na Glock 17, tendo ela passado com louvor por todo esse “inferno” avaliativo.



Em 1983 a Glock 17 foi, oficialmente, adotada pelo exército austríaco, e a partir daí, a “pistola de plástico”, como a mídia a chamava, passou a ser o centro das atenções em muitas conversas entre apreciadores de armas. Vale lembrar que a Glock não foi a primeira pistola a usar plástico (Polímero) em sua construção. Na verdade a primeira arma com essa característica foi uma pistola famosa, a Heckler & Koch chamada VP-70, uma arma dos anos 60 que além do material avançado, também era mecanicamente avançada usando um sistema de operação exclusivamente em ação dupla.

A popular pistola Glock, acabou entrando no mercado norte americano, o mais concorrido do mundo, devido à liberdade que o cidadão de bem possui naquele país para adquirir armamentos. O sucesso do modelo naquele mercado foi sensacional. Simplesmente um “best seller” em termos de vendas. Fora isso, muitos departamentos de polícias nos Estados Unidos, assim como agências do governo, começaram a adquirir as pistolas Glock em suas diversas versões.







No Brasil há apenas 2 modelos para o uso civil, os modelos G25 e G28, todos com o calibre 380 Auto. Os modelos 9 mm são de uso exclusivo das forças armadas e da Polícia Federal – G17.

Arma tática tipo pistola, leve, segura e com boa precisão, fabricada parte em polímero (frame), parte em aço carbono com acabamento teniferizado (cano ferrolho e outras peças pequenas). O acabamento teniferizado apresenta-se mais resistente à corrosão do que o aço inox. As pistolas Glock utilizam uma ação do tipo safe action (ação segura), patenteado pela Glock Gmbh, que se caracteriza por um conjunto de 3 travas automaticamente liberadas quando do acionamento do gatilho, permitindo, assim, o disparo. Não se trata nem de ação simples, tampouco de ação dupla. É um sistema próprio da Glock baseado nos sistemas de percussor pré-engatilhado.

Essa pistola não possui travas externas, sendo esse um dos motivos pelos quais pessoas que não conhecem essa arma a considerem como não segura. A primeira trava encontra-se no próprio gatilho. trata-se de uma lingueta que só permite o curso do gatilho quando este é pressionado pelo dedo do atirador no momento do tiro. A segunda trava é a do percutor (firepin). O percursor só é liberado após o acionamento do gatilho, permitindo, assim, o disparo. A terceira trava evita o disparo acidental por queda do armamento. 

Ao contrário do que muitos pensam, a glock, quando está com munição na câmara, não está “engatilhada”. O acionamento do gatilho termina de empurrar o percutor para trás, armando o mecanismo, que só é liberado no final do curso do gatilho. Assim, a glock, mesmo com munição na câmara, não pode efetuar disparos acidentais, pois o mecanismo de disparo só é “engatilhado”, no final do curso do gatilho. Por isso a glock é considerada uma das armas mais seguras e mais indicadas para o uso policial.

As pistolas Glock hoje são o armamento padrão do exército austríaco, também usado pelo FBI, GIGN, US Navy Seals e hoje pela Polícia Federal do Brasil.



Fonte:



Nenhum comentário