Header Ads

ad

REMINGTON MODULAR SNIPER RIFLE (MSR) Mk-21


Na primeira década do século XXI, mais especificamente em 2008, o Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos (USSOCOM) havia colocado um programa para que empresas do segmento de defesa apresentassem um novo fuzil de precisão que deveria substituir os diversos fuzis em uso pela aquela força armada.

O nome do programa era Precision Sniper Rifle (PSR) e um dos requisitos era que a nova arma fizesse uso de um calibre mais potente que o onipresente 7,62X51 mm. Os concorrentes desse programa eram a empresa finlandesa Sako com seu excelente fuzil TRG- M10, um derivado modular com recurso de troca de calibres da família de fuzis TRG usada por dezenas de países e que tinha modificações para virem de encontro aos requisitos colocados pelo USSOCOM para o programa PSR. 

O outro concorrente vinha da mais antiga fábrica de armas de fogo dos Estados Unidos, a consagrada Remington Arms com seu fuzil Modular Sniper Rifle ou simplesmente "MSR". Depois de uma concorrência dura, afinal de contas a Sako é uma fabrica famosa pela qualidade de seus produtos, em 2013 o fuzil norte americano MSR da Remington foi declarado vencedor do programa PSR e é denominado Mk-21 nas forças armadas norte americanas.


Com um desenho particularmente fora do padrão, o moderno fuzil MSR, da Remington, manteve a tradição deste consagrado fabricante de armas norte americano em fabricar armas de qualidade muito acima da média.



O fuzil MSR é uma arma de aparência particularmente "diferente", para não dizer "estranha" para o pessoal que como eu vem de uma época onde fuzis de precisão tinham aparência de armas de caça comuns, usando coronhas de madeira e um bipé logo a frente da coronha. Esse novo design do MSR é decorrente de sua modularidade que tornou este um dos fuzis de precisão com mais recursos de ajustes e configurações dentre as armas desse tipo.

Uma das características do MSR é a qualidade e a resistência dos materiais usado em sua construção. A trava do ferrolho, por exemplo, é de titânio, observando que se trata de uma arma de repetição por ação ferrolho, sistema de operação muito apreciado por atiradores de precisão graças a maior precisão da arma devido a menos peças moveis durante o processo de disparo. 

Para otimizar a precisão também, o cano da arma é do tipo flutuante, sendo assim, sem contato com nenhuma outra parte da arma além da caixa da culatra, e ele pode ser facilmente substituído através de uma peça que funciona como uma trava rosqueada na culatra da arma. Através deste processo, assim como a troca do carregador, o MSR pode trocar de calibres, reforçando a característica inerente à sua modularidade.


O Fuzil MSR possui uma modularidade que lhe permite trocar de calibres com a simples substituição do seu cano do tipo flutuante, do ferrolho e do carregador.


Embora o fuzil MSR seja modular e permita, de fato, trocar de calibres com a fácil e rápida substituição de seu cano carregador e a cabeça do ferrolho para cada um dos calibres possíveis para este modelo, o MSR é usado de foma mais comum com a potente munição calibre 338 Lápua Magnum que consegue um desempenho bastante superior a munição 7,62X51 mm, amplamente utilizada na atividade de sniping, apresentando velocidade de 1005 m/ seg com um projetil de 200 grains que projetam sobre o alvo um impacto de cerca de 506 kg (sim, é isso mesmo! Meia tonelada). Com essa munição é possível atingir alvos a 1500 metros, embora normalmente se utilize a arma a distancias até 1300 metros, quando operada com esta potente munição. 

As outras munições disponíveis são o também potente 338 Norma Magnum, que tem um desempenho similar ao 338 Lapua Magnum, porém com projéteis mais pesados. As outras munições são o 300 Winchester Magum que apresenta melhor balística para distancias de até 900 metros, superando o 7,62X51 mm, também disponível para o MSR. 

Os carregadores são para 5 ou 10 munições para todos os calibres, com exceção da munição calibre 300 Winchester Magnum, cujo carregador possui capacidade para 7 munições. A precisão do MSR atinge índice de sub MOA a 91,44 metros (100 jardas). Na verdade o MSR é capaz de 1 MOA a 1500 metros com a munição 338 Lapua Magnum. Sem duvida uma das mais precisas armas do mundo.


A potente munição 338 Lapua Magum posicionada a esquerda, com o 7,62X51 mm no centro e o pequeno 5,56X45 mm a direita.


O "corpo" do MSR é fabricado em liga de alumínio, o que ajuda na redução do peso e tem uma coronha totalmente regulável em comprimento, altura e ainda dobrável. Na verdade a coronha do MSR é uma obra de arte em termos de engenharia e flexibilidade de regulagens. 

Existe um trilho picatinny MIL-STD-1913 integral na parte superior da arma e trilhos menores nas laterais e abaixo do guarda mão, assim como um bipé dobrável para disparos apoiado. Esse tipo de armamento aceita inúmeros equipamentos de miras, devido a facilidade que os trilhos picatinny fornecem, porém o MSR costuma ser equipado com uma mira telescópica S&B PM II, 5-25X ou uma das disponíveis da família Leupold Mark 4, cuja marca é reconhecida como uma das mais tradicionais fornecedoras desse tipo de luneta para armas de precisão.



Com uma construção robusta de alta qualidade e um acabamento primoroso, a Remington acabou produzindo um excelente fuzil para tiros de precisão, porém a um elevado custo que chega a U$ 15.000,00 cada unidade.


Embora o MSR possa ser usado sem um supressor de ruído (o famigerado "silenciador"), normalmente o que se vê é a opção pelo seu uso e o supressor usado é do modelo QD Titan fabricado pela própria Remington que reduz em 32 dB o som do disparo.

Atualmente o MSR é usado pelo Comando de Operações Especiais do Brasil (Exército), Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos (USSOCOM), Forças Especiais Colombianas e pelo Metzada, de Israel. 

É importante observar que o fuzil MSR é, efetivamente, uma arma caríssima cujo preço chega a U$ 15000,00 dólares, sem o supressor de ruido QD Titan que agrega mais U$ 1500,00 nesse já alto valor e por isso veremos este armamento, mais normalmente, nas mãos de tropas de elite (forças Especiais) que precisam de equipamentos de padrão premium como é o caso do Remington MSR.



Desenvolvido para vir de encontro a requisitos do comando de forças especiais dos Estados Unidos, o exército brasileiro acabou se tornando um usuário desta excelente arma. Aqui um membro da Brigada de Operações Especiais do Exército Brasileiro com seu MSR.



FICHA TÉCNICA:
  • Calibre: 7,62X51 mm, 338 Lapua Magnum, 300 Winchester Magnum e 338 Norma Magnum
  • Operação: Repetição por ação de ferrolho.
  • Comprimento: 1,17 m com a coronha estendida.
  • Comprimento do cano: 508mm (20 polegadas)", 559mm (22 polegadas)", 610mm (24 polegadas) e 686mm (27 polegadas) em todos os calibres disponíveis.
  • Capacidade: Carregador com 5 ou 10 munições em todos os calibres disponíveis.
  • Mira: Telescópica S&B PM II, 5-25X ou uma das disponíveis da família Leupold Mark 4.
  • Peso: 7,71 Kg (completo e pronto para uso)
  • Velocidade do projétil: 7,62X51 mm: 833 m/seg ; 300 Winchester Magum: 990 m/seg; 338 Lapua Magnum: 1005 m/ seg; 338 Norma Magnum: 979 m/seg
  • Alcance efetivo: Variável conforme o calibre: 800 metros no 7,62X51 mm a 1500 metros com o 338 lapua Magnum.

Veja mais no vídeo abaixo:


Fonte:


Nenhum comentário