Header Ads

ad

Os 10 melhores países para ter e/ou portar armas



Na lista abaixo, estão os melhores países do mundo, para ter e/ou portar armas, considerando as condições legais em cada uma dessas nações possuem como a taxa dos legalmente armados, permissões e leis para porte velado ou ostensivo e alguns outros fatores:

10 – HONDURAS

Seus cidadãos podem comprar os modelos mais populares de espingardas, armas pequenas e rifles para o intuito de autodefesa e recreação.
Atualmente, o cenário em Honduras caminha para o lado anti-armas. Décadas de violência dividiram a opinião pública em 2007, que levou a proibição do porte, que não ajudou em absolutamente nada, Honduras possui um dos maiores índices de homicídios do planeta.
Apesar desse cenário todo, estima-se que há 2,05% armas registradas e mais de 850.000 unidades as não registradas. Além da permissão para rifles semiautomáticos, 308 ou menores Os hondurenhos podem ter até 5 armas de fogo, licenciadas e registradas pelo governo e todos os 26 locais que vendem armas e munições são controlados pelos militares.
09 – FINLÂNDIA

Há um registro de 12,81% de armas, mas estima-se que muitas armas da Segunda Guerra ainda estão em circulação ou sem os devidos registros.
Assim como outros países nórdicos, a Finlândia possui muitas armas per-capita graças a sua forte tradição em caçar. Em 2009 houve uma luta de ativistas pró-armas contra as restrições nas licenças. Para comprar uma arma na Finlândia, o cidadão precisa de uma licença de compra, além de uma licença específica para cada arma que tiver/comprar.
O cidadão pode alegar que necessita da arma para caça, esporte ou coleção, mas autodefesa é um motivo que o governo não considera válido. Todas as armas precisam ficar em casa, se o proprietário tiver uma coleção com mais de 5 armas, as mesmas precisam ficar em um cofre que será inspecionado e aprovado pela polícia local.
08 – SÉRVIA
O porte velado ou ostensivo é permitido para quem está em “perigo iminente”, mas licenças assim são raras. Os Sérvios, principalmente os que moram em zona rural, possuem um grande histórico de registros de armas, e as licenças podem ser obtidas para muitos modelos.
Atiradores são limitados a 60 munições anualmente, seja para rifles, seja para pistolas e revólveres, não sendo contabilizadas as munições usadas no estande de tiro. É proibido recarregar munições e as licenças são muito difíceis de conseguir.
A taxa de registros é de 15, 81%.
07 – SUÉCIA

Um número muito alto de cidadãos possui armas, 31,6%%, e eles participam de competições de tiro e caça.
Aqueles com 18 anos ou mais que quiserem ter uma arma, precisam obter uma licença da polícia e declarar o motivo: esporte, caça ou coleção. Os suecos podem ter 6 rifles de caça, 10 pistolas ou uma quantidade máxima de 8 armas mistas, que também devem ficar dentro de um cofre inspecionado. É proibido comprar munição para uma arma que não possua.
Defesa não é um motivo considerado válido para se ter uma arma, além da legislação do país considerar qualquer disparo efetuado em legítima defesa injustificável.
06 – CANADA

Em 1995 o governo ordenou que todas as armas fossem registradas em um banco de dados federal, mas o esquema foi desastroso e foi encerrado em 2012.A tradição de caça e tiro ao alvo continua firme e forte no Canadá, apesar do sucesso dos movimentos anti-armas.
Todo proprietário precisa de uma licença de compra e posse. A legislação também obriga que as armas ao estarem guardadas, estejam desmuniciadas e inoperantes ou travadas. Mais uma vez, defesa não é um motivo considerado justificável pelo governo canadense. Porém, apesar desses contras, a taxa de registros é 23,8%.
05 – NORUEGA

A Noruega possui uma das maiores taxas de proprietários de armas do mundo, 31,3%, e permite concessão de compra para quase todos os tipos de armas. O direito a ter arma(s) não é permitido na legislação do país. O cidadão que quiser ter uma(s) arma(s) deverá obter uma licença de propriedade de arma e declarar o motivo para isso. Para obter esta licença, o cidadão será submetido a um curso de qualificação em um estande de tiro e terá seu histórico criminal checado, após isso, poderá ter uma arma em casa.
04 – PANAMÁ

No Panamá, a taxa registros de armas é 3,06%. Se legalmente você possuir uma arma, lá você pode portá-la de forma velada, sem permissão específica para isso. Basicamente toda arma não automática é permitida, até mesmo espingardas com canos serrados e rifles com canos curtos, e sem restrição na quantidade máxima de munições no carregador.
Porém, turistas não possuem o mesmo direito. É necessário ter residência fixa para comprar. A melhor maneira para ter uma arma é comprá-la através de um negociante oficial do governo, que requererá a licença para armas de fogo. Para ter a licença, será necessário realizar testes de urina e sangue e ter seu histórico criminal checado.
03 – SUÍÇA

Os suíços possuem um dos maiores índices de armas, que gira em torno de 29% e também uma das menores taxas de crimes. As chamadas “free arms”, como os rifles de disparo único e rifles “bolt-action” podem ser comprados por qualquer cidadão com 18 anos ou mais sem nenhum tipo de licença, graças às leis federais de armas e munições de 1997, porém essas leis estabelecem algumas restrições, assim como outras que surgiram depois.
Até 2010, todos os homens mentalmente saudáveis eram obrigados a manterem rifles automáticos em casa ou no arsenal mais próximo, com o intuito de prover a segurança nacional. O serviço agora é facultativo.
O porte ostensivo é permitido através de licença. O velado é restrito a quem comprovar efetiva necessidade em decorrência de perigo legítimo, ter seus dados e históricos checados e ter sucesso em exames na polícia.
02 – REPÚBLICA TCHECA

O tribunal tcheco chegou à conclusão que o direito as armas não é permitido pela constituição, mas ao contrário de muitos países europeus, cidadãos checos podem obter licença para porte velado sem ter que declarar um motivo para isso, pois a legislação reconhece mais firmemente o direito à legítima defesa do que a maioria dos países. O porte ostensivo é altamente restrito.
Depois da queda da União Soviética, os checos restauraram seu direito de acesso as armas e detém o melhor cenário pró-armas da Europa.
Taxa de registros de armas é baixo. Em 2013, haviam apenas 306.815 licenças expedidas e 728.476 armas registradas em uma população de aproximadamente 10,5 milhões. A média de proprietários é de 16,3%.
01 – ESTADOS UNIDOS

Os americanos são exemplos nesse quesito, pois quando esse direito foi desafiado, o país foi rapidamente tomado por manifestações de eleitores pró-armas. A Segunda Emenda da constituição dos Estados Unidos reconhece e garante ao cidadão o direito a ter armas, apesar de algumas cidades e regiões tentaram contornar a Segunda Emenda, como é o caso de Chicago, Illinois e Washington.
É difícil contabilizar ou até mesmo estimar o índice, pois lá não é necessário ter licença para armas, mas estima-se que 43% das casas possuem ao menos uma arma de fogo e que 90 milhões de cidadãos possuem armas. Esta é de longe, a maior taxa do mundo. Em 30 estados permitem o porte ostensivo sem licença alguma, 14 apenas com licença e 6 o porte é proibido.


Fonte:

Nenhum comentário