Header Ads

ad

As 10 piores armas de fogo da História


O pessoal do site List Verse elaborou um ranking com as piores armas da História. Para elaborá-lo, o autor considerou os critérios de confiabilidade, segurança e utilidade dos instrumentos de tiro na época em que foram produzidos. A lista mostra revólveres e espingardas que foram mal elaborados e apresentaram problemas de funcionamento. Confira abaixo.

10 – Rifles de munição giratória

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Mesmo que essas armas tenham proporcionado um bom aumento no poder de fogo para os povos do Velho Oeste a partir da década de 1830, elas tiveram alguns problemas muito visíveis.
Um deles era um escape dos gases de queima na parte da frente do cilindro e uma redução correspondente da velocidade de saída. A cada tiro, esse defeito fazia com que o ar quente atingisse a mão do atirador, causando queimaduras e erros que podiam facilitar a vida do inimigo e dificultar bastante a dele.

9 – Liberator

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

A Liberator era uma pistola de tiro único, utilizada por movimentos de resistência durante a Segunda Guerra Mundial. Ela era ruim nessa situação justamente por ser de tiro único e difícil de recarregar. Mesmo acertando de alguma forma o alvo, o inimigo provavelmente revidaria com um rifle semiautomático. Guerra é guerra.

8 – Gyrojet

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

O Gyrojet era um lançador de foguetes de mão desenvolvido na década de 1960, que disparava projéteis de 13 milímetros. Diferente da maioria das armas de fogo, em que a velocidade do objeto lançado aumenta após sair do cano, o Gyrojet não proporcionava um ritmo rápido nesse momento. Isso gerava um grande déficit no poder de fogo. Em alguns testes, os projéteis caíam sem impulsão logo após o disparo.

7 – Rifle antitanque

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

O rifle “Boys” antitanque foi um armamento utilizado, sem muito sucesso, no início da Segunda Guerra Mundial. A arma era um rifle de cinco tiros que pesava cerca de 16 quilos e disparava um projétil de 13,97 milímetros, com um calibre perfurante capaz de penetrar 21 milímetros da estrutura de um tanque a 300 metros.
Apesar disso, o equipamento não era suficiente para destruir os fortes blindados alemães, além de ser muito pesado para os soldados carregarem de um lado para o outro.

6 – Espingarda Nock Volley

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

A Nock Volley apareceu pela primeira vez por volta de 1780 e disparava sete balas de calibre 50 ao mesmo tempo. Ela era muito útil para repelir ataques quando usada apoiada, mas quando utilizada livremente, o seu recuo podia quebrar o ombro do atirador.

5 – Revólver Cochran

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Os revólveres Cochran tinham um cilindro que girava horizontalmente. Basicamente, significa que cada vez que se fazia um disparo, a pessoa tinha a roda carregada apontada para ela. Com isso, se corria um grande risco do disparo voltar para o atirador, caso o furo do cilindro tivesse uma falha de uma fração de milímetros mais profunda.

4 – Nambu (94 Shiki Kenju )

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Essa pistola japonesa da Segunda Guerra Mundial tinha potência fraca, era pesada, complicada de usar e extremamente insegura. Foram relatados casos de disparos de projéteis que estouraram nas laterais da arma, além de ser propensa a disparar por acidente. A arma foi considerada muito mais perigosa para o usuário do que para o seu alvo.

3 – Revólver Pepper Box

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Essa antiga arma era pesada demais devido aos vários canos. Além disso, algumas vezes, os tiros saíam todos de uma vez, o que causava um impacto muito grande no pulso do atirador, chegando a machucá-lo gravemente. Alguns relatos também afirmam que a arma explodia e seus disparos eram imprecisos.

2 – Grossflammenwerfer

Fonte da imagem: Reprodução/Jedsite

Essa arma era um lança-chamas alemão da Primeira Guerra Mundial. Ela foi utilizada apenas por uma equipe de duas pessoas e só foi operada por condenados por causa do perigo extremo. Os recipientes de combustível e de propulsão eram muito grandes e pesados para a mobilidade, mas a mangueira poderia ser suficiente para alcançar as trincheiras mais próximas do inimigo. Mesmo assim, era uma bomba ambulante.

1 – Chauchat

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Essa metralhadora francesa era tão ruim, que os soldados que tentavam utilizá-la queriam jogá-la fora. Produzidas durante a Primeira Guerra Mundial, as armas Chauchat foram tão malfeitas que não era possível repor peças com outras do mesmo modelo. Além disso, os grandes sulcos laterais se enchiam de terra e lama das trincheiras durante as batalhas, causando bloqueio imediato e inutilizando a arma. 


Fonte:


Nenhum comentário