Header Ads

ad

Marcha para o contato


marcha para o contato é a operação ofensiva que permite a uma força militar aproximar-se do inimigo e estabelecer o contacto. Pretende-se estabelecer o contato com as forças inimigas para as atacar ou para restabelecer o contacto perdido. Normalmente, mas não obrigatoriamente, precede o ataque.
A marcha para o contato é, normalmente, executada em colunas múltiplas, dependendo da dimensão da força, e adaptando diferentes formações e disposições de segurança conforme o grau de probabilidade de contato com o inimigo. Termina quando a resistência do inimigo é de molde a exigir o desenvolvimento e o esforço coordenado do grosso das forças.
A força que executa a marcha para o contato é, normalmente, articulada em forças de segurança e grosso. A articulação que a seguir se indica destina-se a assegurar uma progressão rápida e ininterrupta e a segurança adequada em todas as direções. As forças de segurança esclarecem oportunamente a situação respeitante aos itinerários e ao inimigo e o grosso mantém-se disponível para atacar as principais forças inimigas ou conquistar os objetivos fixados. 

As forças de segurança podem compreender:

  • Força de cobertura;
  • Guarda avançada;
  • Guardas de flanco;
  • Grosso das forças
  • Guarda de Retaguarda.

Esquema da articulação das forças na marcha para o contato.


A organização das forças para a progressão depende da missão, das informações disponíveis, da sequência provável de empenhamento das unidades e da mobilidade relativa destas.
força de cobertura destina-se a destruir resistências inimigas, conquistar e manter a posse de pontos importantes do terreno ou fixar forças inimigas até as forças para as quais executam a ação de cobertura possam chegar à frente. Deve ter características que lhe permitam cumprir a sua missão a uma distância considerável do grosso das forças.
Cada coluna constitui uma guarda avançada que tem a missão de detectar a atividade do inimigo antes de o grosso entrar em contacto com ele.
As guardas de flanco são forças que atuam nos flancos do grosso para o proteger da observação, dos fogos diretos e ataques de surpresa.
guarda de retaguarda é uma força de segurança que atua na retaguarda da força em movimento com a finalidade de a proteger de ataques de surpresa ou de interferências do inimigo. tem também a finalidade de proteger os trens e o grosso e reunir os transviados.
A marcha para o contacto caracteriza-se por ações rápidas e agressivas para não proporcionar à força inimiga muito tempo para se preparar para enfrentar o ataque. Ao encontrar uma resistência que exige o desenvolvimento do grosso, as forças de segurança procuram esclarecer a situação para se conhecer melhor o dispositivo inimigo, especialmente os seus flancos. Entretanto o grosso desenvolve para o ataque.
Quando uma força avança numa marcha para o contacto podem ocorrer combates de encontro, isto é, ações que se caracterizam por um conhecimento limitado do inimigo e pelo escasso tempo disponível para esclarecer a situação, elaborar planos e pô-los em execução. É importante, nestes casos, ganhar e conservar a iniciativa para repelir rapidamente o inimigo ou, se necessário, executar um ataque coordenado. A ação deixa de ser um combate de encontro quando a situação do inimigo tiver sido esclarecida e quando, consequentemente, passarem a ser conduzidas ações planeadas e coordenadas. Os combates de encontro ocorrem com frequência nos baixos escalões (pelotão, companhia, batalhão).


Nenhum comentário