Header Ads

ad

Arma de Fogo Artesanal



Arma de fogo artesanal é aquela fabricada por armeiro e/ou artesão e, normalmente, produzida com adaptação de materiais disponíveis. Variam em qualidade, indo de armas não tão perigosas para o usuário (e o alvo) até armas de alta qualidade produzidas por indústrias caseiras com materiais reaproveitados.
Em geral, armas artesanais e/ou improvisadas são usadas como por criminosos, insurgentes, movimentos de resistência e são frequentemente associados com tais grupos.
Outros usos para tais armas incluem auto-defesa em áreas onde o estado não assegura a segurança pública, ou em áreas rurais pobres para caça.


CONSTRUÇÃO
As partes essenciais de qualquer arma de fogo artesanal ou improvisada são a câmara e o cano. Para cartuchos pequenos, de baixa pressão, como o calibre .22 (5,5 milímetros) rimfire (fogo-circular), mesmo tubos metálicos de encanamento finos são suficientes. O autor Harlan Ellison descreve as armas "zip" usadas por gangues nos anos 1950 na cidade de Nova York como sendo feitas a partir de tubos de bules de café ou antenas rádio de carro, amarrados a um bloco de madeira para servir como uma alça. O elástico fornece a energia para a percussão, que é puxada para trás realizando o disparo. O uso de tais tubos resultam em armas que podem ser tão perigosas para o atirador como o alvo; canos de alma lisa mal ajustados proporcionam pouca precisão e correm o risco de explodir no disparo.




Pistola feita à mão.

Submetralhadora artesanal exposta num museu de Donetsk(Ucrânia).


Armas de fogo artesanais podem ser encontradas tanto na configuração tiro único quanto na de tiro múltiplo. As mais simples de disparo múltiplo são do tipo "derringer", consistindo numa série de canos de disparo único anexados. No final de 2000, a polícia britânica apreendeu uma pistola .22 Long Rifle de quatro tiros disfarçada como telefone celular onde, diferentes teclas acionavam diferentes canos. Por causa desta descoberta, telefones celulares passam por aparelhos de raios X em aeroportos de todo o mundo. Supostamente fabricados na Croácia, continuavam a ser encontrados na Europa até 2004, de acordo com a revista Time.
Geralmente consideradas complexas, mas na realidade de execução simples, dependendo dos recursos, são fabricadas submetralhadoras. Muitas vezes copiando projetos existentes ou por adaptações simples, ação "open-bolt" e adaptações realizadas através de torneamento mecânico.


Armas artesanais são muitas vezes ilegais e são comumente associadas a gangues, onde podem ser usadas para facilitar crimes violentos, como homicídios. Em outros casos, são utilizadas para outras atividades criminosas não necessariamente relacionadas com a criminalidade violenta, como a prática da caça ilegal.
São mais comumente encontradas em países com leis severas para controle de armas. Apesar de populares nos Estados Unidos na década de 1950, as armas "zip" tornaram-se menos comuns, devido à maior facilidade de obtenção de armas de fogo no mercado negro. Na Índia, o uso de pistolas artesanais é generalizado, especialmente nas regiões de Bihar e Purvanchal. A fabricação destas armas tornou-se uma indústria caseira, e os componentes são muitas vezes fabricados a partir de material de sucata, como canos de armas formado a partir de volantes de caminhão. Em regiões aa África do Sul, tais armas são mais comuns. Num estudo do distrito de Zululândia verificou-se que as armas de fogo improvisados eram grosseiras, espingardas de calibre 12, que com um simples puxão, libera-se mecanismo de disparo; com cartuchos de percussão anular 0,22. Cartuchos de espingarda também operam a pressões baixas, tornando-os mais adequados para utilização de pequena potência, canos improvisados. Mesmo na ausência de muniçãopólvora caseira é utilizada. Tais armas de fogo foram objeto de uma repressão na República Popular da China em 2008.
Armas improvisadas não são usadas apenas por elementos criminosos, são também usadas por insurgentes. Durante o ocupação das Filipinas pelo Império do Japão durante a Segunda Guerra Mundial, o paliuntod, um tipo de improvisado espingarda, era comumente usada por guerrilheiros e soldados americanos e filipinos conjuntos que ficaram para trás depois da retirada de Douglas MacArthur. Feito de dois pedaços de cano que encaixados, o paliuntod foi uma arma de tiro único simples, ação "open-bolt". O cartucho era colocado na culatra do cano, o qual foi então ajustado para o receptor de maior diâmetro. O receptor era tampado no final da culatra, e tinha um pino de disparo fixo, colocado alnhado à espoleta do cartucho. Quando o cano era puxado bruscamente para a traz, o pino de disparo atingia espoleta e disparava a arma. Estas armas improvisadas ainda estão em uso por criminosos e rebeldes nas Filipinas. Na cidade de Danao em Cebu, armas de fogo artesanais são produzidas a tanto tempo que os fabricantes tornaram-se legítimos, fabricando e comercializando suas armas. Os fabricantes de Danao fabricam revólveres calibre 38 e 45, réplicas da Ingram MAC semi-automática e da metralhadora Intratec TEC-DC9.
Em 2004, uma fábrica ilegal de armas foi descoberta em Melbourne (Austrália), encontrando-se, entre outras coisas uma série de silenciadores e réplicas da metralhadora "Owen Gun", suspeita de ter sido fabricada para venda a gangues locais envolvidas no tráfico de drogas.
Muitas armas artesanais também têm sido utilizados em outros países, como a Índia e Rússia, têm sido usadas em homicídios e terrorismo.
No Brasil, fábricas clandestinas de armas vem sendo descobertas. Algumas destas localizadas em cidades como Marabá, Mossoró, São Paulo, Rio de Janeiro e outras.


FONTES


Nenhum comentário